Desenvolvimento do EAD no Brasil 2015

capa3

 

No ano de 2014 havia uma expectativa de que o número de aluno poderia dobrar em cinco anos, especialmente porque, acreditava-se que o FIES também passaria a contemplar os alunos desta modalidade. E mesmo com as surpresas apresentadas pelo Governo Federal, em relação as regras para o FIES, a expansão da educação superior a distância continua sendo uma grande expectativa, por parte dos especialistas da área.

Divulgado no ano de 2013, o Censo da Educação Superior, informou que cerca de 1,2 milhão de alunos estavam matriculados na modalidade EAD, em cursos como bacharelado, licenciatura, técnico e lato sensu, representando 17% de um total de 7 milhões de alunos no ensino superior. De acordo com as últimas estimativas, este percentual pode estar próximo a 25%, com expectativas de alcançar de 40 a 45% nos próximos anos, de acordo com o diretor-executivo de operações de ensino a distância (EAD) da Estácio Participações, Pedro Graça.

Além do aumento da conectividade por parte da população, os preços praticados pelas instituições para os cursos EAD é um dos fatores que contribuem para este crescimento acelerado. As mensalidades chegam a custar quatro vezes menos que as praticadas nos cursos presenciais, e a justificativa óbvia é que o custo operacional para o funcionamento dos mesmos, é bem menor.

Outra informação que evidencia a tendência dessa expansão continuar acelerada, é o número elevado de brasileiros adultos, entre 25 e 30 anos, que ainda não possuem um curso superior, atualmente estimado em 15 milhões. Além disso, o ritmo do crescimento para novos ingressantes em cursos superiores na modalidade EAD, em comparação ao ensino presencial, foi muito superior, de acordo com as últimas informações do Ministério da Educação – MEC. Cruzando os números entre 2011 e 2012, a expansão neste quesito foi de 12,2% para o EAD, contra apenas 4,4% para o ensino presencial.

O presidente da ESAB – Escola Superior Aberta do Brasil, Nido Ferreira, acredita que essa expansão tende a acelerar nos próximos anos, especialmente levando em consideração o recente crescimento da classe C.
“Recebemos diariamente matrículas para os cursos na modalidade EAD. O perfil do aluno moderno está cada vez mais integrado com as tecnologias e com a internet, e acredito que nos próximos 5 anos, o ensino superior pela modalidade EAD vai passar por um crescimento exponencial”, afirmou Nildo.

De acordo com a experiência desta instituição, que é uma das pioneiras do EAD para ensino superior no Brasil, este acelerado desenvolvimento também está diretamente relacionado ao avanço da tecnologia disponível, que viabiliza cada vez mais e melhores ferramentas para esta finalidade. E até cursos que hoje seriam impraticáveis pelo EAD, como medicina e odontologia, no futuro poderão ser ministrados a distância, a partir de tecnologias mais avançadas e adequadas.

Aos 31 anos, a designer gráfica de Brasília, Daiana Martins, que trabalha até 10 horas por dia, encontrou no EAD a única possibilidade de concluir a sua sonhada graduação. Aluna da ESAB, ela não esconde a sua empolgação com o desenvolvimento do curso, afirmando estar realmente satisfeita com o método, os conteúdos e a atenção que recebe da instituição.

Daiana explicou: “Poder definir os meus horários de estudo, pagar uma mensalidade ao meu alcance, e a qualidade comprovada da instituição, foram os fatores decisivos na minha matrícula. O ambiente digital é ótimo, e os tutores dão toda a atenção necessária. Já estou pensando na pós-graduação”.
Esta popularização dos cursos superiores EAD, também foi motivada pelas próprias ações do Governo Federal nesta direção, como o Programa Universidade para todos (ProUni), que inclui a modalidade EAD para as bolsas de estudo em instituições particulares. E a Universidade Aberta do Brasil (UAB), que além de funcionar pela modalidade EAD, é gratuita, oferecendo principalmente cursos de licenciatura e capacitação de professores.

Atualmente os cursos mais procurados na modalidade EAD, são:
Pedagogia;
Administração;
Serviço social;
Competências Gerenciais;
Ciências Contábeis;
Gestão de Pessoal/Recursos Humanos;
Administração Pública;
Letras – Licenciatura;
Matemática – Licenciatura;
Biologia – Licenciatura;
Ciência da computação.

Fontes: Censo da Educação Superior 2013 – INEP, Reportagem revista digital EXAME (Ensino a distância no Brasil pode dobrar em 5 anos), ESAB – Escola Superior Aberta do Brasil.